fbpx

Gestão de estoque: 4 passos infalíveis para controlar seu negócio

6 minutos para ler

O sucesso de uma empresa depende de vários fatores. Para que um negócio consiga aumentar as vendas, é necessária a administração eficiente de recursos e uma adequada gestão de estoque das operações produtivas.

O gerenciamento eficiente do estoque exerce um diferencial estratégico em todo tipo de negócio, desde as grandes empresas de varejo até os empreendimentos menores. Por outro lado, em caso de falhas em algumas das fases, podem ocorrer déficits na distribuição das mercadorias e graves prejuízos financeiros.

Portanto, é vital investir em um controle de estoque para não comprometer as atividades da companhia nem colocar em risco suas operações diante do mercado. Pensando nisso, trazemos hoje a importância desse tema para pequenos empreendedores alavancarem as vendas. Acompanhe o post!

O que é a gestão de estoque?

Trata-se de uma série de medidas administrativas de tempo, capital, equipe, insumos e matérias que fazem parte das atividades operacionais de armazenamento de uma empresa. Essa é uma das fases de maior relevância dentro da cadeia de suprimentos (Supply Chain) corporativa.

Abordamos, aqui, uma das áreas mais importantes e complexas. Afinal de contas, a maneira como a gestão de estoque é feita pode significar toda a diferença entre o negócio obter lucro ou amargar sérios prejuízos financeiros.

Qual é a importância de realizar uma boa gestão de estoque?

O intuito consiste em melhorar a produtividade, assegurando um controle eficiente e preciso dos itens que entram e saem da empresa. Assim, tem-se uma noção sobre a rotatividade de cada um e se mantém o fluxo de entrada e saída atualizados, com a devida estruturação.

A gestão de estoque deve calcular adequadamente a tendência do mercado, levando em conta períodos anteriores para chegar a uma estimativa momentânea. Essa medida ajuda a encomendar uma quantidade de itens mais próximos à necessidade atual, evitando que as mercadorias sobrem, fiquem encalhadas ou faltem nas prateleiras.

Por isso, a equipe que realiza a gestão precisa ficar de olho na maneira como as mercadorias são armazenadas no depósito, a fim de impedir que pereçam ou se deteriorem com facilidade. Deste modo, é primordial preservar os itens em ambientes adequados, considerando a matéria formadora do produto.

Como se não bastasse, uma gestão de estoque eficaz fornece dados importantes, como a média de tempo em que uma mercadoria permanece armazenada até ser vendida para o consumidor. Essas informações são obtidas por meio dos indicadores de desempenho:

  • ciclo econômico;
  • ciclo operacional;
  • ciclo financeiro ou de caixa.

Como fazer uma gestão de estoque eficiente?

Listamos, a seguir, quatro passos de como você pode iniciar o método de gestão de estoque do seu negócio sem erros. Confira!

1. Realize inventários com frequência

A elaboração de inventários auxilia na identificação do tipo, da quantidade e do volume de mercadorias estocados na empresa. Essa atividade deve ser realizada de maneira periódica (semanal, quinzenal ou mensal, por exemplo), para que as informações referentes ao estoque estejam sempre atualizadas.

Trata-se, então, de organizar e registrar o fluxo de entrada das mercadorias, bem como tomar nota das vendas e acompanhar a saída dos produtos. Esse controle é útil para identificar o momento de repor itens junto aos fornecedores e para suprir faltas no estoque.

Sendo assim, uma empresa que dispõe de mais informações sobre os processos operacionais tende a administrá-los melhor. Além disso, sabe tomar as decisões levando em conta dados concretos e reais do fluxo de entrada e saída dos produtos.

Vale ressaltar que a importância do inventário não se restringe a grandes corporações. Esse cuidado também é importante para pequenas empresas, uma vez que garante dados atualizados sobre o balanço da movimentação de mercadorias em determinado período. No fim das contas, ajuda a identificar problemas e conhecer os pontos que podem receber mais investimentos, por exemplo.

2. Mantenha bons fornecedores e preços competitivos

É fundamental contar com colaboradores qualificados, capazes de executar devidamente todas as funções relativas à compra de mercadorias e à armazenagem do estoque. Diante disso, monte uma equipe que tenha conhecimento de operações de logística e armazenamento e que saiba fazer um monitoramento eficiente sobre essas atividades.

Portanto, escolha seus fornecedores levando em conta a especialização e a competência deles, e não apenas o preço mais acessível. Nem sempre quem oferece valores baixos de fato disponibiliza um serviço de qualidade, e o barato pode sair caro.

3. Defina metas e acompanhe as vendas

Mesmo uma gestão de estoque direcionada para pequenas empresas precisa ter boa estrutura e organização. Por isso, é importante definir metas reais, que poderão ser cumpridas pela equipe especializada por todo esse processo.

Estabelecer objetivos concretos é essencial para motivar os empregados. Nesse sentido, deixe claro quais são as metas finais que devem ser alcançados e, mais importante ainda, defina qual o caminho que a equipe deve trilhar para chegar a um resultado positivo.

4. Adote um software de gestão de estoque

A tecnologia consiste em uma excelente aliada para as empresas. Por isso, automatizar a gestão de estoque por meio de um software é uma ótima forma de controlar todos os processos envolvidos em um negócio.

Assim, as informações são obtidas de maneira mais eficiente e os sistemas passam a trabalhar de modo integrado e com maior produtividade, otimizando o desempenho geral.

Veja algumas vantagens da automatização da gestão de estoque:

  • localização dos produtos no estoque com mais rapidez;
  • menos chances de falhas e erros capazes de comprometer o negócio;
  • economia no registro das informações em detrimento do trabalho manual e cansativo.

Conforme observamos, mapear as atividades de gestão de estoque figura como ferramenta essencial para que a equipe responsável identifique falhas. Assim, consegue elaborar uma estrutura adequada para os produtos estocados ou vendidos pela empresa.

Essa cautela também é importante para pequenos empreendimentos locais, que envolvem demandas mais enxutas e menos complexas. Entretanto, lembre-se de que a profissionalização chegou para ficar em negócios de qualquer tamanho.

E aí, o que achou do nosso texto de hoje? Foi útil para você? Está pensando em abrir um empreendimento e tem dúvida sobre por onde começar? Então conheça oito dicas de como abrir seu próprio negócio!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-